Psiquiatra condenada por crime de paciente!

Matéria/dez 2012

A psiquiatra francesa Daniele Canarelli, 58, foi sentenciada a um ano de prisão por ter, segundo juízes, falhado em reconhecer o perigo imposto por Joel Gaillard, seu paciente por quatro anos.

Gaillard, 43, fugiu do hospital de Marselha onde se consultava com Canarelli em fevereiro de 2004 –20 dias depois, ele usou um machado para matar um homem de 80 anos, parceiro de sua avó, em Gap, na região dos Alpes.

A condenação de Canarelli é o primeiro caso do tipo na França, e causou o protesto de uniões sindicais de psiquiatras. Ela está recorrendo em liberdade.
Representantes da categoria dizem que o veredito põe em risco a profissão, ao transformá-la em bode expiatório de casos complexos.

Segundo sindicatos, Canarelli havia notificado a polícia sobre a fuga do paciente.

Gaillard sofria de um tipo de esquizofrenia paranoica e já tinha sido internado diversas vezes por acidentes. A corte afirma que a psiquiatra deveria tê-lo encaminhado a uma unidade especial ou a um outro grupo médico, como teria sido sugerido a ela.

Fabrice Castoldi, presidente da corte, afirma que a recusa dela constituiu “uma espécie de cegueira” grave.

Advogados de defesa afirmam que a decisão da Justiça francesa poderá ter sérias repercussões no tratamento de enfermidades. Se um psiquiatra tiver de trabalhar sob o temor de ser sentenciado, provavelmente irá tratar seus pacientes com maior rigor.

Michel Trabuc, filho da vítima, espera que o caso abra um precedente. “Não existe uma situação sem risco”, afirmou. “Mas eu espero que isso faça a psiquiatria progredir e, acima de tudo, que isso nunca mais aconteça.”

Gaillard está atualmente internado em um hospital psiquiátrico.

Fonte: Folha de São Paulo