Periodontite: entenda o que é e como evitá-la!

Em algum momento você já ouviu falar sobre a famosa gengivite, aquela inflamação e inchaço que ocorre na gengiva.

Mas você sabia que, se não tratada, ela pode evoluir para um caso ainda pior? 

É sobre isso que vamos falar e alertar hoje: os perigos da periodontite. Para saber o que ela é, o por que dela ser tão perigosa e como evitá-la, basta continuar lendo as dicas abaixo.

O que é periodontite?

A periodontite, ou doença periodontal, é o estágio mais avançado da gengivite, aquela pequena inflamação que acontece na gengiva. Se não tratada a tempo, a gengivite avança para um quadro de periodontite, uma inflamação ainda pior que pode chegar a causar a perda óssea de alguns dentes, o que é ainda mais grave. 

Como ela surge?

Como apontamos anteriormente, a periodontite é o nível mais avançado da gengivite, portanto, ambas são causadas pela falta de higiene bucal que traz inúmeras bactérias para a boca e produzem graves infecções e problemas, como a doença periodontal. 

Quais são os sintomas?

Quando ainda se está no começo da gengivite, o indivíduo percebe uma sensibilidade muito grande e um forte tom avermelhado na gengiva. Juntamente com o mau hálito, sangramentos e dores, fica nítida a aparição de um grave problema, que realmente pode ser a periodontite. 

O que a doença periodontal pode causar?

Em seu nível extremo, pode chegar ao ponto da extração de dente, já que ela produz uma grande perda óssea nos dentes, podendo fazer eles enfraquecerem e caírem por conta do forte avanço da infecção.

Como evitar a periodontite?

A doença é causada pela falta de higiene bucal, portanto, a melhor dica é cuidar muito bem dos seus dentes. Abaixo seguem algumas dicas primordiais para lhe proteger da temida periodontite: 

  1. Escove os dentes regularmente

É recomendado que se escova os dentes pelo menos três vezes ao dia: ao acordar, após o almoço e antes de dormir. Se você tiver a disponibilidade de escovar mais vezes durante o dia, não hesite, isso vai te ajudar ainda mais.

Se você usa algum tipo de aparelho transparente, não se esqueça de também fazer a higienização dele. Como o contato é direto com os dentes e a gengiva, se ele não estiver bem limpo também pode causar sérios problemas.

  1. Use sempre o fio dental

Mesmo escovando os dentes regularmente, muitas vezes alguns restos de alimentos ficam presos entre os dentes e gengiva. Isso é extremamente perigoso, pois, o acúmulo de bactérias nesta região será ainda maior, podendo causar infecções e problemas graves. 

Por isso, sempre passe o fio dental entre os dentes após a escovação e, principalmente, após as refeições. Se preferir, pode até passar um pouco de pasta de dente no fio para que a limpeza seja ainda mais eficaz.

  1. Use enxaguante bucal

O enxaguante bucal também é um passo muito importante para garantir a saúde bucal, além de deixar um ótimo aroma e evitar o mau hálito. A maioria dos enxaguantes presentes no mercado prometem eliminar cerca de 99% dos germes e bactérias presentes na boca, o que permite uma limpeza ainda mais profunda.

Se você fez algum procedimento estético recentemente, como um clareamento dental, tome cuidado com os tipos de enxaguantes que usa. Alguns contém uma grande quantidade de corantes que podem comprometer a durabilidade do seu procedimento. Por isso, sempre consulte o seu dentista para saber qual a melhor opção para você.

  1. Consulte regularmente o seu dentista

Mesmo seguindo todas as dicas citadas anteriormente, jamais se esqueça da importância de se ter o acompanhamento de um bom profissional. Ainda que você não sinta nada, compareça ao dentista pelo menos de 6 em 6 meses, e se tiver algum sintoma, dor, ou queixa, o procure imediatamente. 

Como a periodontite é tratada?

Existem alguns tratamentos oferecidos por clínicas odontológicas que garantem o tratamento para pacientes que sofrem com a doença periodontal, entre eles estão:

  • Tratamento de canal;
  • Raspagem;
  • Alisamento radicular;
  • Antibióticos e analgésicos;
  • Pequenas cirurgias;
  • Extração do dente em caso de total perda óssea do local.

Ainda existem outros tipos de tratamentos, tudo depende do estágio em que a doença está; quanto antes descoberta, mais fácil e simples será o tratamento. Por isso, sempre esteja em contato com o seu médico.

Considerações finais

Esperamos que este artigo tenha tirado todas as suas dúvidas em relação a essa doença tão incômoda, mas infelizmente, presente na vida de inúmeros brasileiros.

Não esqueça de seguir as dicas que passamos anteriormente e cuide-se bem para ter uma ótima qualidade de vida!

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Clínica Ideal, plataforma especializada em marketing e gestão para consultórios e clínicas odontológicas.