Os erros mais comuns de quem está tentando emagrecer

Está tentando ter uma dieta mais saudável e que leve ao emagrecimento? Ótimo, pois evite esses sete erros tão comuns. Segundo Sari Greaves, diretora de nutrição do Step Ahead Weight Loss Center, em Bedminster, Nova Jersey, explica que uma dieta saudável significa um compromisso por toda a vida com os alimentos saudáveis e com a ingestão de uma forma correta. Confira:

Os erros mais comuns de quem está tentando emagrecer

1 – Dietas de uma comida só que prometem milagres

Uma dieta que promete que você vai perder cinco quilos numa semana comendo o quanto quiser de um só alimento não será nunca uma boa ideia. Ao cortar vários grupos de alimentos, você não só não terá os nutrientes de que precisa como ficará entediado.

– Mesmo que a dieta funcione, não vai ensinar como manter a sua perda de peso – explica Marjorie Nolan, uma especialista em dietas de Nova York e integrante da Associação Americana de Dietas (ADA, na sigla em inglês).

Algumas das dietas de um alimento só também podem gerar indesejáveis efeitos colaterais. Segundo Marjorie, a regra é a seguinte: “se um alimento parecer milagroso, desconfie. A perda de peso deve ser um processo gradual”.

2 – Vegetariano às avessas

Mais de 7 milhões de americanos seguem uma dieta vegetariana. A maioria bem intencionada. Mas mesmo que amem os animais para comê-los ou queiram um estilo de vida mais saudável, o que as pessoas não se dão conta é que uma dieta vegetariana não significa que seja com baixa ingestão de gordura ou de calorias. Se a base da sua dieta vegetariana for queijos e massa, você continuará ganhando peso e ficará infeliz. Para uma dieta vegetariana funcionar como auxiliar do emagrecimento, sua base deve ser de vegetais. Acrescente ainda grãos, frutas e outras comidas saudáveis que não sejam carne. Garanta que está sendo provido de proteínas de outras fontes, como feijão, nozes e tofu e que sendo abastecido de aminoácidos essenciais originados do arroz integral.

3 – Muita quantidade de uma coisa boa

Chocolate, vinho, azeite de oliva, abacates e nozes podem fazer bem à saúde, mas numa quantidade pequena. Todos são ricos em calorias.

– Um paciente meu começou a comer três abacates por dia porque faziam bem ao coração. Só com isso, ele estava ingerindo cerca de 600 calorias a mais por dia – conta Marjorie Nolan.

Guarde esta mensagem: tudo bem de acrescentar um ingrediente saudável à dieta. Mas faça com moderação.

4 – Virar as costas para os carboidratos

Algumas comidas foram demonizadas e outras ganharam o status de superalimentos. Cuidado! Os carboidratos são um bom exemplo: você deseja cortar o pão branco e o arroz branco da sua vida, porque são refinados e tem pouco nutrientes. Mas não corte os carboidratos completamente da sua dieta, porque são a fonte primária de energia.

5 – A falácia do ‘não contém gordura’

Houve um tempo em que baixo teor de gordura ou livre de gorduras eram os mantras de qualquer dieta, graças à indústria alimentícia, que acrescentou aos pacotes industrializados esta promessa na mesma época em que as gorduras se tornaram as grandes vilãs do emagrecimento. Hoje, os médicos já sabem que elas são necessárias ao nosso corpo e algumas até fazem bem. O importante é saber escolher quais: as insaturadas provenientes de fontes vegetais e nunca em excesso. Alguns exemplos: nozes, óleos de canola, azeite de oliva.

6 – Encarar a dieta como um martírio

Para emagrecer alguns quilos, muitas vezes fazemos concessões maiores do que as que podemos aturar. Guarde a dica: não abdique completamente do seu alimento preferido, apenas ingira-o com moderação.

7 – Pular os lanches e ficar só nas refeições

Pode parecer difícil, quando se está acostumado a só se fazer refeições, a lanchar pequenas quantidades. Os lanches, no entanto, não podem ser muito calóricos. Procure limitá-los a 200, 300 calorias cada.

Fonte: O Globo