Mitos sobre vasectomia

Advertisements
Loading...

Vasectomia, mitos e verdades

Mentira: a vasectomia é irreversível e ineficaz.

O método é eficaz no controle da natalidade.

Após a cirurgia, é feito um espermograma (exame) para a verificação da azoospermia (situação caracterizada pela falta de espermatozoides no sêmen) e, a partir disso, o procedimento é considerado definitivo.

vasectomia

Para os homens que queiram voltar a ter filhos, existe a vaso-vasostomia, que é a cirurgia de reversão.

Mito: a masculinidade do homem é afetada após a vasectomia

A vasectomia é uma cirurgia muito simples que serve para impedir a liberação de espermatozoide quando o homem ejacula, impedindo que o óvulo feminino seja fecundado. Ela não causa alterações físicas ou hormonais no homem.

Mentira: A vasectomia pode levar à perda de performance sexual ou queda de libido.

O procedimento não altera as taxas hormonais de testosterona que preservam a libido, nem causa impotência sexual.

Sua função é alterar a capacidade reprodutiva do homem.

Advertisements
Loading...

Mito: após a cirurgia o homem não ejacula mais.

O homem ejacula normalmente.

O que muda é o conteúdo seminal, que passa a não ter mais espermatozoides na sua composição.

Não é verdade: o procedimento é doloroso.

Durante a cirurgia é aplicada a anestesia, que evita dor e traz mais conforto ao paciente.

A recuperação é rápida, pouco dolorosa, possibilitando que o homem possa retomar suas atividades em um ou dois dias.

O resguardo dura de sete a dez dias, e após esse período recomenda-se que o paciente faça testes de reação dolorosa antes de ter relações sexuais.

Fonte: R7.com