Mais cinco hospitais do país passam a contar com rede de telemedicina

Expansão reforçará o Telessaúde, que utiliza a tecnologia para promover melhor assistência aos profissionais de saúde.

Com mais cinco núcleos no país implantados recentemente, a Rede Universitária de Telemedicina (Rute) passa a contar com 68 núcleos no total. A expansão reforçará o Programa Telessaúde Brasil Redes, coordenado pelo Ministério da Saúde, que utiliza a tecnologia para promover a teleassistência, teleconsultoria e teleducação no Sistema Único de Saúde (SUS).

O Telessaúde ajuda a melhorar o atendimento e a qualificar o diagnóstico, uma vez que o médico numa unidade de saúde do interior do estado pode tirar dúvidas ou ter uma ” segunda opinião” de especialistas.

Os novos núcleos foram instalados no Pronto Socorro Cardiológico Universitário de Pernambuco Prof. Luiz Tavares, no Hospital Universitário Oswaldo Cruz e no Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira, em Recife (PE); no Hospital Geral Roberto Santos, em Salvador (BA) e no Hospital das Clínicas da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, em Botucatu (SP).

Telessaúde

O programa Telessaúde Brasil Redes interliga, por meio da tecnologia da informação, unidades de saúde da Atenção Básica com núcleos de especialistas e técnicos que trocam informações para melhorar o atendimento no SUS e qualificar o diagnóstico e o tratamento no nível da atenção primária. O programa está em funcionamento em 12 estados e já realizou, desde 2005, cerca de 50 mil teleconsultorias, 665.572 telediagnósticos (análise de exames de apoio à distância), e 643 ” segundas opiniões formativas” . Neste ano, o programa recebeu um aporte de R$ 70 milhões, e estará presente, até o final de 2013, em 3.256 municípios de todas as unidades federativas.

Sessões científicas diárias

A Rute realiza, em média, duas a três sessões científicas diárias com a participação de 300 instituições da América Latina. Coordenada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), com o apoio dos ministérios da Saúde, da Educação e da Cultura, a rede é considerada a maior do mundo na integração de Hospitais Universitários e de Ensino, com cerca de 600 sessões por ano de vídeo e web conferências.

Fonte: isaúde