É gripe ou pneumonia?

A gripe e a pneumonia são doenças muito comuns em nosso meio. Apesar disso, ainda existem diversas dúvidas a respeito das suas manifestações clínicas.

Na Gripe

Contágio – o contato ocorre por um vírus, sendo que o mais importante deles é o influenza;

Manifestações clínicas – febre acima de 38º C, tosse com expectoração, dores difusas no corpo e mal estar generalizado;

Duração – os sinais e sintomas podem durar até três dias;
Tratamento – após o organismo entrar em contato, ele inicia a produção de anticorpos, os quais combatem a infecção. Como tratamento, o médico pode prescrever o uso de remédios que colaboram com o alívio dos sintomas.

Na Pneumonia

  • Contágio – o agente causador da doença pode ser um vírus ou uma bactéria;
  • Manifestações clínicas – entre os sinais e sintomas, o indivíduos podem apresentar as mesmas manifestações que a gripe, além de falta de ar, dor torácica, prostração;
  • Duração – em geral, o quadro de pneumonia pode durar mais de três dias;
  • Tratamento – diante de um quadro de pneumonia bacteriana, o médico deve indicar o uso de antibióticos para combater a infecção. Por ser um quadro mais grave, a pneumonia deve ser adequadamente tratada, pois, em alguns casos, pode ser fatal.

Qualquer pessoa possui o risco de desenvolver os sinais e sintomas da pneumonia.  No entanto, pessoas acima de 50 anos, crianças abaixo de 5 anos e mulheres grávidas, possuem maior probabilidade. Isso porque o sistema imunológico está mais desprotegido quando comparados a outros indivíduos.

A estação mais fria do ano colabora com a manifestação da gripe e da pneumonia, por duas razões principais:

  • O clima mais frio e seco colabora com o aparecimento de feridas na pele, em especial no nariz. Essas lesões, favorecem a entrada de microorganismos responsáveis em manifestar as doenças;
  • Na época mais fria do ano, as pessoas tendem a permanecer mais tempo em ambientes fechados e aglomerados, o que favorece o contágio.

A gripe e a pneumonia são duas das doenças mais populares em nosso meio. No entanto, ainda surgem dúvidas a respeito das suas diferenças e semelhanças. Assim, é de extrema importância conhecer um pouco mais a respeito de cada uma e diante de suas manifestações clínicas, buscar a orientação de um médico para um tratamento adequado.

Fonte: Bem-Estar do R7.com