Diabetes e saúde bucal: entenda a relação

A saúde bucal influencia em todo o funcionamento do organismo, podendo contribuir com a ampliação da imunidade e controle de bactérias. Para isso, assim como para a manutenção de toda a saúde, é imprescindível a adoção de hábitos saudáveis.

Isso porque algumas doenças conseguem atingir a saúde bucal e impactar diretamente no funcionamento adequado de todo o organismo.

Por isso, neste artigo falaremos sobre uma doença que está relacionada com a higiene bucal, mesmo que muitas vezes essa influência não esteja clara. Estamos falando da diabetes.

Se você possui diabetes, este artigo explicará a relação entre a saúde bucal e as medidas de prevenção/controle para esse problema.

O que é diabetes?

Diabetes é uma doença crônica, na qual o corpo não consegue produzir a quantidade necessária de insulina ou apresenta problemas para a absorção dessa substância.

Isso porque a insulina é o hormônio responsável por controlar a glicose no sangue, ou seja, regular o índice de açúcar – que proporciona mais ou menos energia.

Pacientes que possuem diabetes tem uma saúde bucal alterada e, por isso, em alguns casos é necessário realizar intervenções médicas para que o problema seja controlado.

As principais alterações ocorrem no tecido da gengiva e isso acontece porque a doença atinge toda a circulação sanguínea bastante presente nessa área. Assim, a região da boca é uma das mais prejudicadas.

Nesses casos o convenio odontologico se torna um grande aliado, pois com ele é possível realizar consultas e análises com mais facilidade, evitando doenças mais severas.

Por conta disso, as doenças que mais afligem os pacientes que possuem diabetes são:

Doença periodontal

Devido a baixa resistência e a baixa imunidade, essa doença se apresenta com maior facilidade em pacientes com diabetes.

Já o tratamento consegue auxiliar no controle de açúcar no sangue.

Infecções

As infecções bucais podem ser causadas por diferentes motivos, indo desde a má higienização ou a higienização realizada de maneira incorreta até outros intensificadores, como o acúmulo de sujeiras e machucados mal tratados.

O grande problema é que em pacientes com diabetes, a cicatrização de um ferimento demora muito mais tempo do que o comum. Sendo assim, um pequeno machucado como afta pode gerar diversas complicações, inclusive na digestão de alimentos, criando um ciclo.

Assim, como no exemplo anterior, recorrer a um profissional se torna imprescindível.

Ao realizar o cadastro em um convenio dental é necessário que a informação da pessoa com de diabetes seja informada.

Isso porque existem particularidades e cuidados, bem como alguns tratamentos que são realizados de maneira muito mais delicada.

Fungos

Com as inflamações, é muito comum que infecções fúngicas surjam, comprometendo todo sistema imunológico do paciente, desenvolvendo úlcera e dificuldade de ingestão.

Mau hálito

Por conta dos problemas na circulação e hormônios, é muito mais propício que pacientes com diabetes desenvolvam mau hálito.

Para que essa situação seja contornada, é necessário a avaliação mensal de um cirurgião dentista, evitando essas complicações e promovendo a manutenção do sorriso e de outros problemas que podem surgir, além de uma higienização adequada.

Quais as medidas de prevenção necessárias?

Para evitar que doenças fúngicas atinjam o organismo, é crucial que a diabetes seja acompanhada por um médico e com o uso dos medicamentos receitados.

Contudo, existem alguns hábitos que podem fazer toda diferença para que a diabetes e a saúde bucal sejam otimizadas, tendo uma relação muito mais benéfica.

Para que isso seja feito de maneira eficiente, é importante entender qual o estado em que a doença se encontra.

Isso porque cada tipo de diabetes necessita de um tratamento, tanto no controle do açúcar na corrente sanguínea quanto nos aspectos odontológicos.

Independente de qual nível a doença se encontra, é importante seguir o seguinte hábitos:

1.   Tenha uma boa higiene bucal

Escove os dentes após cada uma das refeições, principalmente as essenciais como o café da manhã, almoço e janta.

A escovação deve ser realizada 30 minutos após a digestão do alimento, utilizando o fio dental após o processo para remover os resquícios de comida.

Se você é filiado a um convênio dentário, saiba que eles oferecem um kit de higiene pessoal para ser levado em ocasiões importantes e podem dar dicas para fazer a escovação correta.

Em relação aos locais, independentemente da onde você esteja, manter uma boa higiene bucal é crucial para evitar esses problemas no futuro.

2.   Tenha uma alimentação balanceada

Fique longe de alguns doces e guloseimas, pois além de fazerem mal ao organismo também são grandes vilões da saúde bucal facilitando a proliferação de cáries e bactérias.

Sempre que consumir algum doce ou alimento que tenha um alto nível de corante faça uma boa higienização bucal para evitar futuras dores dentárias e lembre-se que o consumo deve ser feito com cuidado e de acordo com a indicação médica por conta da própria diabetes.

Na alimentação cotidiana, apostar em frutas com açúcar natural, como maçã, pera e banana podem ajudar o seu organismo e fortalecer os seus dentes.

A cenoura, brócolis e tomate são alimentos ricos em ferro e cálcio, que ajudam a proteger o esmalte e a raiz dos seus dentes.

Nos casos em que a diabetes já está avançada, com a presença de feridas na boca ou corpo, os especialistas do seu convênio odontológico podem realizar uma dieta mais balanceada, focando na cicatrização e renovação celular, além de proporcionar um atendimento multidisciplinar.

Praticar exercícios físicos também traz grandes resultados tanto para retardar a ação da doença quanto para uma boa saúde física de modo geral.

Não se esqueça de visitar um odontólogo no mínimo duas vezes ao ano para prevenir doenças bucais e garantir um sorriso saudável e bonito por toda a vida e realizar os check-ups anualmente, para acompanhar a evolução da diabetes.

Conteúdo produzido por Dayane Goes, redatora da empresa Ideal Odonto.