Como o cigarro prejudica a sua saúde bucal?

Cigarro e sua saúde bucal

O tabagismo é um dos principais responsáveis por inúmeros problemas respiratórios, como a bronquite e a enfisema.

Entretanto, o que muitos não sabem é que o tabaco também prejudica a sua saúde bucal e é capaz de originar doenças sérias nos tecidos orais.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma em cada cinco pessoas têm o hábito de fumar, sendo que 90% desses indivíduos tiveram o primeiro contato com o tabaco antes dos 18 anos.

Deste modo, aproximadamente 24 milhões de crianças consomem ou já tiveram contato com o cigarro ao redor do mundo.

Esse dado é particularmente preocupante quando se considera que os efeitos mais danosos, dos mais de 3.800 compostos químicos presentes no cigarro, são cumulativos. Ou seja, tendem a aparecer depois de muitos anos de uso.

No entanto, durante a vida, os pacientes também podem experienciar diversos problemas com a saúde e com o bem-estar, em decorrência dos efeitos desse vício, como:

  • Distúrbios sexuais;
  • Doenças pulmonares;
  • Enfermidades cardiovasculares;
  • Infarto do miocárdio;
  • Câncer no fígado, estômago e bexiga, entre outros.

Os efeitos prejudiciais não param por aí. Toda a saúde bucal dos fumantes é diretamente afetada pelas substâncias aspiradas durante o uso de cigarros, narguilés, charutos ou qualquer outra forma de consumir o tabaco.

Como o cigarro afeta a saúde bucal?

Segundo divulgado pelo Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC), o tabagismo é a principal causa de enfermidades que levam à morte no país.

Isso porque, devido a sua natureza, composição e formas de consumo, não existem níveis saudáveis para essa exposição.

Assim, a quantidade de cigarros fumados por dia e a frequência com que esse hábito é repetido, determinam a severidade das predisposições ao desenvolvimento de doenças. Para se ter uma ideia, apenas na saúde bucal, os pacientes podem acabar apresentando:

  1. Alteração na cor dos dentes

A halitose e a hiperpigmentação bucal são algumas das principais características do tabagismo. Esses efeitos são causados, principalmente devido a presença de elementos químicos, como a nicotina e o alcatrão, que se acumulam na superfície dos tecidos orais.

Deste modo, além de deixar as estruturas dentais, os lábios, a gengiva, a língua e a lente nos dentes com uma tonalidade mais escura e amarelada, esse composto ainda contribui para a formação do tártaro e provoca o mau hálito.

  1. Disfunção no paladar

A mistura do aumento da temperatura bucal e os efeitos químicos do cigarro, reveste a superfície da língua, danificando a sensibilidade desses tecidos e fazendo com que as pessoas não sejam capazes de sentir sabores ou cheiros de forma apropriada.

A boa notícia é que quando o paciente para de fumar por completo, após alguns meses ou anos, tanto o paladar quanto o olfato voltam a funcionar e o sabor dos alimentos podem ser apreciados novamente.

  1. Inflamações gengivais

Outra consequência do aumento da temperatura bucal é o advento das inflamações gengivais, também conhecida como gengivite.

Isso acontece porque, como o cigarro deixa a cavidade oral mais seca, quente e ácida, as bactérias conseguem se propagar com maior facilidade.

Assim, as pessoas passam a notar um acúmulo maior de placa bacteriana, tártaro, hemorragia gengival, inchaço na região e danos à faceta dental ou outros tipos de procedimentos odontológicos.

  1. Doença periodontal

A doença periodontal é um agravamento da inflamação gengival leve, por isso tem sintomas tão similares aos descritos anteriormente.

No entanto, como aqui a inflamação alcança os tecidos mais profundos da região periodontal, ela pode causar problemas mais graves e irreversíveis, como:

  • Perda da massa óssea;
  • Comprometimento dos nervos de sustentação do dente;
  • Movimentação dental;
  • Dores severas durante a mastigação;
  • Amolecimento e perda das estruturas dentais, entre outros.

O desenvolvimento deste tipo de condição pode interromper o tratamento do aparelho de porcelana e impedir a realização de diversos outros procedimentos odontológicos.

  1. Câncer de boca

Entre as maiores consequências do tabagismo na saúde bucal, essa é sem dúvidas a mais grave é a que mais pode impactar a saúde geral e a qualidade de vida. Isso porque o tabaco altera a composição genética das células e danifica a sua reprodução.

Assim, os indivíduos passam a ter uma probabilidade oito vezes maior de desenvolver feridas cancerígenas nos lábios, na língua, nas gengivas, no céu da boca, no assoalho bucal, na faringe, laringe e em diversas outras regiões do organismo.

Formas de evitar ou minimizar esses efeitos danosos

Ainda que se saiba sobre como o tabagismo pode danificar a estética do sorriso e a duração das lentes para dentes, os danos causados na saúde geral e no bem-estar dos pacientes pode ser muito mais devastadora e letal.

Por isso, a melhor forma de minimizar os efeitos e os riscos à saúde é por meio da redução da exposição a esses tipos de substâncias. Por isso, quanto antes o paciente procurar um especialista e iniciar o tratamento para parar de fumar, melhor.

Enquanto esse processo está em andamento, a realização de consultas frequentes com um dentista é extremamente importante. Nessas visitas, o profissional será capaz de analisar a condição das estruturas bucais e manter-se alerta sobre qualquer sinal.

Além disso, ele pode avaliar como os efeitos do cigarro podem estar atrapalhando o tratamento ortodôntico e o aparelho de porcelana preço mais acessível para você.

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Status Fit Center, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.