Como evitar doenças bucais graves?

Advertisements

Confira esses 7 passos infalíveis para evitar doenças bucais graves!

Assim como na medicina, grande parte das pessoas têm o hábito de irem ao dentista apenas quando há um problema, esquecendo que há diversas formas de cuidar da saúde e  evitar procedimentos mais invasivos. Ou seja, a ida ao profissional deve ser regular para prevenir doenças bucais e diversos problemas que podem surgir.

Para isso, é imprescindível que haja regularidade nas consultas, sendo que o ideal é a cada seis meses e/ou 1 ano, realizando o acompanhamento devido.

Segundo a revista Forbes, o Brasil é o país com maior número de dentistas no mundo inteiro, representando 19% dos profissionais.

No entanto, o hábito de ir periodicamente a um consultório ou ter um convênio odontológico não é tão frequente, sendo muitas vezes negligenciado.

Além disso, um fator que demonstra a necessidade de medidas para incentivo e educação da saúde bucal é que ao menos 41,5% da população brasileira, aos 60 anos, tem sua arcada dentária comprometida.

De acordo com o Ministério da Saúde, em 2014, mais de 2,5 milhões de brasileiros ficam anos sem ter um convenio dental, passar por um consultório odontológico ou ainda nunca foram em um e, desse número, 88% apresentam algum problema na boca e não sabem (e isso se deve a muitos fatores).

A falta de cuidado com a saúde bucal pode acarretar em diversos problemas e complicações, sendo desde as mais simples até as mais sérias.

Dentre as doenças bucais mais frequentes estão:

  • Cárie;
  • Gengivite;
  • Placa Bacteriana;
  • Afta;
  • Periodontite;

Mais ainda, há doenças que iniciam na boca, mas que podem progredir e afetar outras partes do organismo, como:

  • Endocardite bacteriana;
  • Pneumonia;
  • Artrite reumática.

Além disso, há quadros de doenças em que os cuidados bucais devem ser redobrados, pois há maior sensibilidade na cavidade.  Exemplo disso é a diabetes e problemas no sangue ou no corpo que podem afetar a saúde bucal.

Como prevenir de doenças bucais

Nesse contexto há diversas medidas que podem contribuir com a saúde bucal, prevenindo o surgimento de doenças e otimizando o tratamento – em caso de necessidade. Confira alguns hábitos essenciais a seguir:

1. Escovar os dentes regularmente

A escovação completa leva cerca de dois minutos, sendo que cada grupo dental demanda ao menos 30 segundos no processo.

Para a higienização correta, faça movimentos de vai e vem sem imprimir muita força e/ou velocidade de modo a não ferir a gengiva e, ao final, escove a língua levemente.

2. Utilizar o fio dental

O fio dental deve ser usado para limpar regiões de difícil acesso para a escova, eliminando o acúmulo de placa bacteriana.

Para uso desse material é recomendado a utilização de 40 cm de fio, que devem ser enrolados nos dedos médios e, com o auxílio dos polegares é possível fazer a limpeza.

3. Limpeza com itens adequados

Para fazer uma boa escovação, o instrumento utilizado tem de estar de acordo com as necessidades bucais.

Desse modo, o ideal é utilizar uma escova de dentes macia e com a cabeça arredondada, o que facilita o alcance do produto aos cantos mais difíceis e fundos da boca, não machucando a cavidade oral.

Quanto ao creme dental, é preciso procurar por um que tenha flúor e utilizar a quantidade recomendada na embalagem para uma higienização correta e efetiva – sem sensibilizar o dente devido ao excesso de flúor.

Com isso, é possível alcançar um sorriso mais brilhante e saudável.

4. Enxaguante bucal

A utilização de enxaguante bucal é importante para a saúde da boca, pois previne problemas como cáries, placa bacteriana, gengivite e mau hálito.

Advertisements

Além disso, o produto favorece um hálito refrescante para quem o utiliza, trazendo um sorriso com dentes mais bonitos e mais bem-estar para a pessoa.

Vale destacar que o enxaguante bucal apresenta diferentes características conforme o tipo e a marca, tendo mudanças em sua composição, com ou sem álcool, fluoretado ou sem flúor.

Tal fator é muito benéfico para se adequar de acordo com a necessidade de cada pessoa, mas demanda atenção ao realizar a compra.

Por isso, o ideal é que o dentista seja consultado caso haja alguma restrição ou necessidade no quadro da saúde bucal, recorrendo ao enxaguante mais adequado para acompanhar o tratamento.

Para utilização, deve-se colocar o enxaguante bucal diretamente na boca, bochechar durante alguns segundos – até que todas as áreas da boca tenham entrado em contato com o produto – e cuspir. Geralmente, usa-se a tampa do enxaguante como medidor.

5. Boa alimentação

Pode parecer que não, mas a boa alimentação contribui muito para prevenir doenças bucais.

Por exemplo, ao se manter distante do consumo de açúcar, se reduz muito as chances de ter bactérias e cáries na boca.

Além disso, ao ingerir vitamina C, D e cálcio, os dentes ficam mais fortes e saudáveis, influenciando diretamente na saúde bucal e de todo o corpo.

6. Consumo constante de água

Além da alimentação, o consumo de água é essencial para a produção de saliva, que faz com que a limpeza bucal também seja feita naturalmente, evitando o acúmulo de bactérias, alteração do Ph e o mau hálito.

7. Ir ao dentista regularmente

O ato de ir ao dentista regularmente e não apenas quando sente dor faz com que sua saúde bucal tenha acompanhamento profissional, reduzindo ainda mais os riscos de alguma doença surgir e se agravar.

Nas visitas ao profissional, a cada seis meses, é feita a profilaxia aprofundada, aplicação de flúor e a avaliação se há algo de errado com a boca do paciente.

Geralmente, a forma mais adequada de fazer esse acompanhamento com periodicidade é com dentista convenio, ou em alguma clínica em que seja possível realizar atendimento particular com frequência e com acompanhamento de um mesmo profissional.

Com relação aos preços, cabe ressaltar que no formato de atendimento com planos há diversas coberturas, inclusive com preços mais acessíveis – ainda mais se comparados aos valores individuais dos procedimentos no modelo particular.

Por fim, é inviável e arriscado ir ao profissional apenas quando há complicações e desconfortos, precisando de um tratamento mais avançado. Isso porque a saúde geral é colocada em risco e o orçamento despendido pode ser muito maior.

De modo a contribuir com a saúde bucal e atingir uma melhora no índice de cuidado populacional maior diversas ações podem ser realizadas.

Inclusive, frente a isso e diversos benefícios, muitas empresas passaram a investir na contratação de planos diversos.

Com isso passam a ofertar o benefício do plano empresarial odontológico, conferindo mais saúde e bem-estar ao corpo laboral. Isso porque além de oferecer esse cuidado – que impacta na visão da marca – a ação gera economia nas declarações de imposto de renda,  conferindo diferenciais na contratação.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Ideal Odonto, empresa especializada em planos odontológicos com atendimento acessível para devolver o sorriso dos pacientes.

Advertisements